Quem sou eu

Minha foto
Psicóloga, escritora,Instrutora de Treinamentos Empresariais e palestrante. Autora dos livros "Ora Direis Ouvir Asneiras" - Editora Papel Virtual; "Exorcize Sua Alma Gorda" - Matrix Editora, publicado no México pela editora Grijalbo - "Exorciza Tu Alma Gorda"; "Clube das Asneiras"; - Matrix Editora; "Cientistas Malucos - Matrix Editora e participação no livro Humor Vermelho 2 - Editora Vermelho Marinho. Facebook: Andréa Cordoniz-Oficina Empresarial
Ocorreu um erro neste gadget

Minha lista de blogs

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Os Dietantes e as Regras de Etiqueta


Nesses tempos atuais em que grande parte das pessoas está de dieta, algumas novas regras de Etiqueta devem ser consideradas.

Por exemplo, chamar alguém de "fofa" ou "fofo" nem pensar!

2 comentários:

Fofinha !!! disse...

Ola

É verdade, por isso eu meu blog chama fofinha chega.. cansei de me falarem, vc nao ta gorda ta fofinha!! hahaha

beijos

Beth disse...

Há uma saída, para a qual já apelei, depois de ter usado o adjetivo, com a melhor intenção, para uma pessoa gordinha: é complementar a frase "Você é muito fofa" (por exemplo) com "no melhor sentido da palavra, estou falando em essência".
Se a pessoa for muito grilada, não vai adiantar, eu sei...rsssss
Beijos

Seguidores

Como sei que você deve estar curioso se sou gorda ou magra, lá vai: já fui muito magra, tipo modelo-manequim (44 quilos distribuídos em 1,63 de altura). Depois passei a engordar (segundo as mulheres) e a me desenvolver (segundo os homens), até ficar gostosa (para os homens) e gorda (para as mulheres). Considerando minhas preferências sexuais, acreditei na opinião deles e acho que me empolguei, então fiquei gostosa demais, se é que vocês me entendem - 64 quilos distribuídos nos mesmos 1,63metros.Hoje, 14 quilos mais magra do que no período de gostosura em excesso, estou quase feliz com meu peso. Claro que se emagrecesse 2 ou 3 quilos, estaria infinitamente mais feliz, mas a vida em geral é assim: estamos a uns dois quilos da felicidade plena - no mínimo. Pois aqui vai um pouco do meu know-how sobre esse , digamos, intrigante mundo da eterna busca do peso ideal que nos faz fazer dietas, tomar remédios, engordar, emagrecer, sentir fome, culpa, desespero, alegria, tentar e errar, acertar,etcétera e tal, até concluir que o único jeito é emagrecer a alma.